16 de julho de 2016

"O SUS é um prato suculento para o golpe", diz Padilha, em evento da UNE

mesa_sus_coneg.jpg 
Frase foi dita pelo secretário de Saúde da prefeitura paulistana, durante debate no 64º Coneg, da UNE, do qual também participou o ex-ministro da pasta Artur Chioro. Portal UNE – O alerta sobre o ataque ao Sistema Único de Saúde em tempos de golpe recheou a fala dos debatedores da mesa que teve como tema "SOS SUS – O desmonte da Saúde Pública", que integrou as discussões do 64º Conselho de Entidades Gerais da UNE (Coneg), em São Paulo. O debate teve a presença dos ex-ministros da Saúde, Alexadre Padilha e Arthur Chioro; do presidente do Conselho Nacional de Saúde, Ronald Santos; e do coordenador da Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina (Denem), Danilo Amorim. Padilha alertou sobre o novo viés que o debate sobre o SUS ganha em tempos de golpe. "Com esse golpe em curso, se a gente não impedi-lo, não vai ter plataforma para a gente continuar debatendo essas questões. Daqui a pouco não haverá mais SUS. 
O SUS é um prato suculento para o golpe", disse. Segundo ele, não é apenas por interesses econômicos que os atores do golpe querem acabar com o SUS, mas também pelo fato do Sistema ter se configurado, ao longo dos anos, como uma plataforma política, de onde surgiram vários movimentos, como a própria Denem. "Nem Tatcher" "O SUS é produção política e é produzido na luta", disse o ex-ministro da Saúde, Arthur Chioro, que elencou, em sua fala, a sequência de iniciativas conservadores que o governo golpista adotou em apenas 48 dias no poder. Ele também enfatizou a ofensiva deste governo contra pautas que dizem respeito aos direitos sociais. 
"Nem a Margareth Tatcher e Ronald Regan [conhecidos pelo desmantelamento do Estado de bem-estar social] tiveram coragem de produzir uma proposta tão reacionária como é a PEC 241/16, que pretende congelar pelos próximos 20 anos os gastos públicos em saúde, educação, assistência social", alertou Chioro. Corroborando a fala de Chioro, o presidente do Conselho Nacional de Saúde, Ronald Santos, disse que é preciso combater essa força conservadora que quer colocar na conta da população os déficits da crise. Antes disso, disse ele, o fim das isenções fiscais e a taxação de grandes fortunas são exemplos de saídas para o buraco financeiro da União. 
Os palestrantes também jogaram luz à questão dos interesses dos planos privados de saúde, que têm sido descaradamente defendidos pelo ministro de Saúde do governo golpista e ilegítimo. Essa correlação de forças entre os sistemas público e privado de saúde, diz Danilo Amorim, coordenador da Direção Executiva Nacional de Estudantes de Medicina, impacta diretamente o Sistema Único de Saúde. "O impacto que o SUS tem sofrido passa pelo financiamento de campanha pelos planos privados", diz Amorim. "Numa defesa intransigente, o atual ministro da saúde, diz que a solução para a questão da saúde no país, seria o setor privado, que desafogaria o SUS. Sabemos que isso é uma falácia", afirmou. 
Fonte:RedeBrasilAtual

As 10 empresas mais inovadoras de 2016

listou nesta semana as 50 empresas mais inovadoras de 2016. Entre as listadas há companhias que trabalham com medicina, finanças, comunicação e, é claro, tecnologia. Listamos as 10 empresas mais inovadoras do ranking. Saiba por que elas se destacam, de acordo com a publicação:

Os 10 países com a internet mais rápida do mundo

Uma das principais reclamações dos brasileiros quando se trata de internet é a velocidade da conexão. E a reclamação faz sentido. Dados divulgados pela consultoria americana Akamai mostram que, em um ranking de velocidade na web que analisa 146 países, o Brasil ocupa da 95ª posição, com velocidade média de 4,5 Mpbs, abaixo da média global de velocidade, de 6,3 megabits por segundo.

EUA começam a definir regras para a fabricação de armas inteligentes


Smartphones, smartwatches e agora “smartguns”. Os Estados Unidos começaram a definir uma série de orientações que as fabricantes deverão seguir para que os produtos satisfaçam as exigências dos órgãos legais. As especificações técnicas dizem a respeito, por enquanto, apenas das “pistolas inteligentes”.
A maior diferença entre uma arma normal e uma arma inteligente é a adição de um dispositivo de segurança. Ele impede o uso da arma por pessoas que não estejam autorizadas a usá-la.
Diversos requisitos ainda impedem as armas inteligentes de se tornarem realidade. A maior parte deles está ligada diretamente ao mecanismo de segurança. As orientações pedem que a arma seja programada para que mais de uma pessoa possa utilizá-la e o acessório não poderá alterar o funcionamento da pistola e nem a deixar mais lenta ou menos prática.
Além disso, a interferência magnética não poderá desabilitar o mecanismo que irá funcionar com bateria. A pistola também deverá avisar o usuário quando a carga do recurso estiver baixa e possibilitar a recarga por eletricidade e também a troca da bateria de forma simples.
Dessa forma, o processo para a regularização ainda está em andamento. Em agosto, o National Institute of Justice (NIJ) irá avaliar e discutir as especificações propostas. Depois disso, o trabalho cabe aos Departamento de Justiça e ao Departamento de Segurança Nacional que irão revisar as orientações do documento para a publicação oficial que dará seguimento ao processo.
Fotne: Engadget

Saiba quais são os smartphones com as melhores câmeras

As câmeras de smartphones já se tornaram um dos recursos mais importantes na hora de decidir qual aparelho comprar. Especializado em avaliar o componente, o site formula um ranking que é atualizado sempre que um novo celular chega no mercado.

Em geral, a lista permanece sempre com as mesmas marcas entre as 10 primeiras colocadas. Recentemente, após a avaliação da câmera do Moto Z Force, o top 10 foi atualizado e agora coloca o smartphone como um dos mais potentes neste quesito.

A nota “87” dada ao Moto Z Force colocou o smartphone na segunda posição da tabela, atrás apenas do Galaxy S7, da Samsung, e do HTC 10 que estão empatados em primeiro lugar com 88 pontos.  Confira abaixo a lista completa:


  • HTC 10 e Galaxy S7 Edge – 88 pontos
  • Moto Z Force Droid, Galaxy S6 Edge Plus e Xperia Z5 – 87 pontos
  • LG G5, Galaxy Note 5 e Galaxy S6 Edge – 86 pontos
  • iPhone 6s Plus, Nexus 6P, Moto G Plus e Moto Z Droid e Moto Droid Turbo 2 – 84 pontos
  • LG G4, Moto X Style, Galaxy Note 4 – 83 pontos
  • iPhone 6s, iPhone 6 Plus, iPhone 6, BlackBerry Priv e Xperia Z3+ - 82 pontos
  • Nextbit Robin – 81 pontos
  • Huawei P9 – 80 pontos
  • Galaxy S5, Xperia M5, Xperia Z3, Xperia Z2, Xiaomi Mi 5 – 79 pontos
  • Nexus 6, HTC One A9 – 78 pontos. 
  • Falso aplicativo de recarga da TIM instala vírus no celular

    Um novo golpe em formato de malware para smartphones está pegando muita gente desprevenida. Trata-se de um falso aplicativo que promete realizar recargas para smartphones que usam a operadora TIM. Ele utiliza o logo da empresa. Contudo, se você instalar ele, poderá ser infectado por um malware.
    Batizado de “Recarga TIM”, o app vem com um arquivo malicioso chamado AndroRat permite que hackers tenham acesso a diversas informações pessoais do usuário, tais como mensagens de texto, localização e senhas. O malware usa o código original do aplicativo e, por isso, ganha acesso a ações remotas do telefone, como realização de chamadas e envio de mensagens SMS.
    Ao Canaltech, a TIM informou que está ciente da cópia maliciosa e orienta que o aplicativo oficial da companhia seja baixado somente pelas lojas do Google Play (para Android) e na App Store (para iOS).

    Luz artificial pode trazer prejuízos ao sistema imunológico, diz pesquisa

    Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Leiden, na Holanda, mostra que a luz artificial pode ter afetado a humanidade mais do que se imagina. "Nós costumávamos pensar na luz e na escuridão eram estímulos inofensivos ou neutros com relação à saúde, mas agora percebemos este não é o caso, com base na acumulação de estudos de laboratórios em todo o mundo, todos apontando na mesma direção", explicam os pesquisadores.
    Em testes realizados com ratos de laboratório expostos à luz constante por 24 semanas, os pesquisadores constataram que os roedores perderam massa muscular e óssea, além de mostrarem sinais de osteoporose e inflamações no sistema imunológico.
    "A boa notícia é que, posteriormente, estes efeitos negativos na saúde são reversíveis quando o ciclo claro-escuro ambiental é restaurado", explica Johanna Meijer, da Universidade de Leiden.
    De acordo com os pesquisadores, se comprovada a ligação entre os efeitos observados nos animais de laboratório e os sintomas em seres humanos, pessoas que trabalham no período noturno ou que vivem em cidades onde há um brilho constante de iluminação pública, além daquelas expostas à luz durante muito tempo, como pacientes de unidades de terapia intensiva, podem acabar apresentando problemas de saúde.
    A próxima etapa do projeto é realizar uma análise aprofundada sobre os ciclos claro-escuro no sistema imunológico e investigar os benefícios de uma programação de luz rígida de saúde.

    É impossível existir um mercado desregulamentado

    Um grande problema econômico enfrentado pelo mundo é de ordem semântica.  O termo "regulação" passou a significar apenas "regulação governamental".  Aparentemente, ninguém parece estar ciente da alternativa: regulação por meio das forças de mercado. 
    Trata-se de um grande problema porque isso leva as pessoas a aceitarem acriticamente — e sem se dar ao trabalho de pensar em alternativas — enormes e variadas intervenções estatais que, no final, não apenas pioram e encarecem os produtos e serviços, como ainda beneficiam justamente os empresários mais ineficientes.

    Todos nós queremos vivenciar aqueles objetivos almejados pela regulação, como qualidade decente, confiabilidade, preços razoáveis para os bens e serviços que adquirimos.  Só que, ao julgarmos que a regulação governamental é a única maneira de obter tudo isso, acabamos sendo submetidos a uma vasta quantidade de restrições e decretos que não apenas são desnecessários e errôneos, como também são contraproducentes, pois privilegiam justamente os piores e mais incompetentes.