10 de fevereiro de 2015

Marvel e Sony fecham acordo para novos filmes do “Homem-Aranha”

Gigantes do cinema fecham acordo e o personagem vai fazer parte do universo cinematográfico da Marvel
Após meses de especulações, incluindo aí o incidente do vazamento de e-mails da Sony Pictures, o destino do “Homem-Aranha” era incerto.
Na noite dessa segunda-feira (9), a Marvel liberou um press-release dizendo que se reuniu com representantes da Sony e finalmente fecharam um acordo sobre o futuro do Amigão da Vizinhança nas telonas. O saldo da reunião foi positivo: o Homem-Aranha entra para o universo cinematográfico da Marvel, no qual poderá interagir com “Capitão América“, “Homem-de-Ferro” e “Thor“!
homem-aranha-vingadores
O “Homem-Aranha” agora vai participar do mesmo universo cinematográfico que “Os Vingadores”
O acordo entre as duas gigantes dos cinemas deixa claro que a Sony ainda tem os direitos do Aranha e fica responsável por financiar, distribuir e dar a palavra final sobre todas as decisões criativas relativas à participação do personagem do universo compartilhado da Casa das Ideias, que além de seus filmes ainda conta com séries como “Agents of S.H.I.E.L.D.” e “Demolidor” (em parceria com a Netflix), que ajudam a desenvolver as tramas lançadas nas telonas. A Marvel, por outro lado, vai produzir os novos longas do Cabeça de Teia.

Uma notícia chata para os fãs do Homem-Aranha de Andrew Garfield é que o ator não deve reprisar seu papel como o protagonista. Segundo o The Wrap, a Marvel parece acreditar que o ator, que já tem 31 anos de idade, não convence como um adolescente.
Com a chegada do Aranha ao Universo Marvel, quatro dos filmes da produtora tiveram suas datas de lançamento alteradas: “Thor: Ragnarok”, “Capitã Marvel“, “Pantera Negra” e “Inumanos”. Abaixo, a nova listagem de longas e datas de lançamento:

“Capitão América: Guerra Civil” – 06 de maio de 2016
“Doutor Estranho” – 04 de novembro de 2016
“Guardiões da Galáxia 2″ – 05 de maio de 2017
“Homem-Aranha” – 28 de julho de 2017
“Thor: Ragnarok” – 03 de novembro de 2017
“Os Vingadores: Guerras Infinitas – Parte 1″ – 04 de maio de 2018
“Pantera Negra” – 06 de julho de 2018
“Capitã Marvel” – 02 de novembro de 2018
“Os Vingadores: Guerras Infinitas – Parte 2″ – 03 de maio de 2019
“Inumanos” – 12 de julho de 2019


O novo “Homem-Aranha” será uma coprodução entre Sony e Marvel, e vai contar com Kevin Feige (e seu time) como produtor ao lado de Amy Pascal (que recentemente deixou seu cargo de codiretora da Sony Pictures), uma das responsáveis pelos últimos filmes do personagem pelas mãos da Sony, “O Espetacular Homem-Aranha” e o “O Espetacular Homem-Aranha 2 – A Ameaça de Electro”.
Apesar de o primeiro “Homem-Aranha” fruto dessa parceria entre as duas produtoras chegar aos cinemas apenas em 2017, o personagem será apresentado no universo cinematográfico da Marvel antes disso, em algum outro filme da casa. A aposta mais provável é que seja em “Capitão América: Guerra Civil“, que vai adaptar a saga “Guerra Civil” das histórias em quadrinhos, na qual o Aranha tem papel fundamental.
Fonte:POP

Novo Trailer de Mortal Kombat X Mostra Bastidores; Veja


O trailer da mais recente edição do jogo "Mortal Kombat" mostra as etapas de desenvolvimento e criação do jogo. Entrevistas com o desenvolvedores e com o próprio criador, Ed Boon, deixam claro que a edição "X" do Mortal Kombat foi fruto de muita inspiração e transpiração. O vídeo mostra os modelos reais de personagens e estruturas 3D utilizadas para modelar os personagens no game. Ainda no pacote dos bastidores, um novo modo de lutas no "Mortal Kombat" foi revelado: os personagens serão divididos por grupos que, conforme vencem batalhas, se tornam mais fortes que a configuração original. Vale a pena dar uma espiada no vídeo em inglês:
"Mortal Kombat X" está com pré-venda marcada no Brasil para 2 de março. Já a estreia oficial será no dia 14 de abril para PC, PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox 360 e Xbox One. 
Fonte: Game Spot

5 de fevereiro de 2015

Novo Pirate Bay estaria sob controle do FBI


Pouco antes da volta do Pirate Bay, houve um conflito interno que dividiu o site em dois grupos. O primeiro colocaria o TPB no ar sem a ajuda do segundo, enquanto este passou a fazer campanha contra o endereço que está disponível desde sábado, 31.
O grupo que foi excluído acusa o outro de deixar o TPB inseguro, uma vez que não há espaço para moderação - informação confirmada pelo time que hoje comanda o domínio. E agora surgiram rumores que colocam o site em uma posição ainda mais obscura: de que, na verdade, quem comanda o serviço agora é o FBI.
Um dia após a volta do TPB, uma conta no Twitter associada ao Anonymous chamada TheAnonMessage publicou o alerta, recomendando que as pessoas "fiquem longe" do site. Segundo eles, o lugar estava indiretamente sendo controlado pelas autoridades norte-americanas.
Ontem usuários do Reddit levantaram o mesmo questionamento, que surgiu, em partes, porque o Pirate Bay está usando uma ferramenta chamada CloudFlare. Como explica a Info, ela protege o endereço de ataques de negação de serviço, mas também salva todos os endereços de IP - assim, se o FBI quiser, basta emitir um mandato judicial para descobrir quem anda baixando conteúdo pirata.
Os novos administradores do TPB responderam que a plataforma foi adotada temporariamente para manter o site rodando sem problemas. "Ela será removida em breve", garantem. Ao mesmo tempo, também explicaram que havia "graves questões de segurança" envolvendo o grupo dissidente, por isso a moderação foi desativada por completo.
Fonte:OlharDigital

2 de fevereiro de 2015

É impossivel existir um mercado desregulamentado

0,,16249146-EX,00.jpgUm grande problema econômico enfrentado pelo mundo é de ordem semântica.  O termo "regulação" passou a significar apenas "regulação governamental".  Aparentemente, ninguém parece estar ciente da alternativa: regulação por meio das forças de mercado.  Trata-se de um grande problema porque isso leva as pessoas a aceitarem acriticamente — e sem se dar ao trabalho de pensar em alternativas — enormes e variadas intervenções estatais que, no final, não apenas pioram e encarecem os produtos e serviços, como ainda beneficiam justamente os empresários mais ineficientes.