20 de fevereiro de 2014

Detento posta foto de sexo em presídio no Facebook

A Sapejus abriu processo para investigar o caso
Pelo visto é como diz a legenda: “parece que cadeia virou motel”. A foto em questão foi feita por um detento do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital goiana, pelado e em posições sexuais com uma mulher, que segundo a postagem nas redes sociais é uma prostituta.
O rapaz que aparentemente fez as imagens dentro da prisão tem 29 anos e está preso em regime fechado desde 2010, após ser condenado a 26 anos de prisão pelos crimes de tráfico de drogas, tentativa de homicídio e lesão corporal. Esta não é a primeira vez que o cara apronta, em 2011, ele tentou fugir da Penitenciária Odenir Guimarães (POG) vestido de mulher. Usando peruca, bijuterias e enchimento nos seios, o jovem foi barrado pelos agentes penitenciários ainda no primeiro portão.
A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária de Goiás (Sapejus) abriu um procedimento administrativo para averiguar se as fotos foram realmente feitas dentro do presídio e se houve a participação de algum servidor na peripécia.
Fonte:POP

Jai Courtney foi escolhido como Kyle Reese do novo "O Exterminador do Futuro"

Courtney em "Duro de Matar 5"
Depois de uma série de papéis secundários em filmes de ação como "Duro de Matar 5: Um Bom Dia Para Morrer", "Jack Reacher: O Último Tiro" e "Frankenstein: Entre Anjos e Demônios", Jai Courtney finalmente chegou a um personagem que, pelo menos, é co-protagonista. Ele venceu a disputa com Boyd Holbrook e irá viver Kyle Reese em "Terminator: Genesis", novo "O Exterminador do Futuro" que ainda não tem nome em português.
Os outros dois papéis centrais do filme  já foram preenchidos com Emilia Clarke, vivendo Sarah Connor, e Jason Clarke, como John Connor. Arnold Schwarzenegger está de volta - teoricamente como o Exterminador. A direção fica nas mãos de Alan Taylor, de "Thor: Mundo Sombrio". Além disso, o roteiro está sendo desenvolvido por Laeta Kalogridis, de "Ilha do Medo", e por Patrick Lussier, de "Fúria Sobre Rodas".
"Terminator: Genesis" é uma das muitas grandes produções a estrear do disputado ano de 2015.
Fonte:POP

Perigos da Cirurgia de Redução de Estômago

reducao-de-estomago
A “cirurgia bariátrica”
Vamos raciocinar: para comer menos, um sujeito quer diminuir o tamanho do estômago. Aí, ele corta um pedaço do órgão, amarra com um barbante o buraco que foi feito e joga o pedaço cortado no lixo. Parece evidente que isto é uma loucura, não? Pois, em linguagem simplificada, é exatamente nisto que consiste a chamada “cirurgia bariátrica”, que milhões de pessoas, em todo mundo, estão fazendo.

Comer doce prejudica nosso dia a dia

capa_doces
Cientista afirma o que sempre escutamos de nossas mães e avós, PARA NÃO COMER DOCES, pois prejudica nossas habilidades e memória.
As pesquisas foram realizadas na Universidade da Califórnia, em Los Angeles (USA) que ao ingerir açúcar é prejudicado as ligações entre os neurônios e também as habilidades cognitivas, que ficam mais lentas.
Comprovado depois de que o médico Fernando Gomez-Pinilla, da UCLA (sigla da universidade), fez e refez os testes em ratos. O cientista separou os ratos em dois grupos: o primeiro recebeu melado de milho e ração, e o segundo, ração e óleo de linhaça.

Em justificativa o Fernando Gomez-Pinilla explica que fez uso do melado de milho por ele ser rico em frutose, açúcar presente em diferentes tipos de alimentos que consumimos o tempo todo em um grupo de ratos e noutro grupo óleo de linhaça pelo produto ser rico em ômega-3, especialmente ácido graxo DHA (ácido Docohexaenóico), o qual é essencial e não é produzido por nosso organismo.
Mas antes de iniciar a pesquisa os ratos foram treinados duas vezes por dia em um labirinto, durante cinco dias e o cientista avaliou quão bem os ratos poderiam percorrer o labirinto. Seis semanas depois, eles foram testados novamente, para verificar as habilidades cognitivas utilizadas para percorrer a rota do labirinto.
Resultado: o segundo grupo percorreu o labirinto muito mais rapidamente e os que receberam a frutose foram mais lentos e mostraram um declínio na atividade sináptica. Seus neurônios tiveram problemas na transmissão de mensagens e suas habilidades de pensar claramente e de lembrar foram prejudicadas.
De acordo com pesquisa já finalizada, os níveis de frutose podem ter bloqueado a habilidade da insulina de regular como as células usam e armazenam o açúcar.
Fonte: Jezebel, SugarBlues e LLC

Bebida alcoólica e sono aguçam a criatividade

capa_criatividade1
Pela Albion College, nos Estados Unidos, foram convidados 428 alunos para participar de uma pesquisa.
Todos contaram aos pesquisadores em quais horários costumavam dormir e se eram mais produtivos pela manhã ou tarde – a maioria, claro, fugia dos compromissos logo cedo. Aí, metade da turma foi convidada a fazer algumas provas às 8h30 da manhã e a outra às 5 da tarde.
Eram duas provas: uma exigia conhecimentos matemáticos e concentração, enquanto a outra pedia mais criatividade para encontrar respostas.
No segundo teste, as perguntas eram tipo:
  • “Um homem se casou com 20 mulheres numa cidade pequena. Todas elas ainda estão vivas e nenhuma se divorciou dele. O homem não infringiu nenhuma lei. Quem é ele?”
  • “Marsha e Marjorie nasceram no mesmo dia do mesmo mês do mesmo ano, filhas da mesma mãe e pai. Mas elas não são gêmeas. Como isso é possível?”
Bem, na pesquisa, o pessoal que teve o azar de fazer as provas pela manhã se saiu melhor nessas provas de criatividades – eles acertaram 50% a mais do que os outros. É que quando você está com sono, desatento, sem muito foco, seu cérebro considera algumas associações que ignoraria num momento mais “atento”. Resumindo: dá mais chance para a criatividade.
Já quando o tema exigia concentração, o relógio não influenciou em nada. Os estudantes só precisavam focar para fazer os cálculos que já sabiam e encontrar as respostas corretas.
Com álcool funciona do mesmo jeito que o sono – seu cérebro está desatento demais para ignorar todas as associações que aparecem. Lembra aquele estudo da Universidade de Illinois, também nos Estados Unidos, que mostrava como bêbados são mais criativos? Eles juntaram 40 homens – metade deles bebeu drinks de vodka com suco de cranberry e outros só comeram biscoitinhos. Depois, receberam sequencias de três palavras (ex: colher, moeda, brinco) e precisam encontrar uma quarta que fizesse sentido no contexto (prata, por exemplo). E eles acertaram 40% a mais que os sóbrios.

RESPOSTAS
    • 1 –> Respectivamente, muçulmano
    • 2 –> Trigêmeos (só é possível se tiver outro filho entre elas, então são trigêmeos, não gêmeos.)
Fonte: Super Interessante

O tempo que voa quando estamos nos divertindo

capa_relogio1
Tem dias que temos a sensação de que o tempo voa quando estamos nos divertindo?
Um dia na praia parece passar bem mais rápido do que um de trabalho, por exemplo. Em uma festa animada, a madrugada pode chegar mais cedo do que esperamos.
De acordo com Simon Grondin, psicólogo que realiza pesquisas sobre a percepção do tempo na Universidade Laval (Canadá), uma frase mais precisa poderia ser: “o tempo voa quando você não está prestando atenção nele”.
Estudos têm mostrado repetidamente que quando você presta mais atenção à duração de um evento, ele parece demorar mais para acabar. E quando você ignora o tique-taque do relógio, o tempo corre mais rápido.
Para exemplificar: no trabalho, você pode estar mais concentrado de manhã do que durante a tarde, fazendo com que você tenha a impressão de que o tempo passou mais depressa no início do dia.
De acordo com cientistas, nosso cérebro é limitado a escolher apenas algumas atividades para nos focarmos. Ou o foco é no relógio, ou é em outra coisa que chame mais atenção.
Fonte: Life’sLittleMysteries

Dois tipos de demanda - e por que só uma funciona

federal.jpgO objetivo de uma sociedade civilizada é o progresso.  Para que haja progresso, é necessário haver um aumento na eficiência desta sociedade. 

E tal aumento na eficiência é baseado (1) no aumento da acumulação de capital, (2) no aumento da divisão do trabalho, (3) no aumento da especialização, e (4) em um melhor uso do conhecimento descentralizado. 

À medida que uma sociedade avança, ela aumenta em complexidade.  Esta é a própria essência da ordem social. Mas a decisiva questão social que atormenta os países de hoje não é esta dicotomia entre "mais complexidade vs. menos complexidade".  A questão é a origem da complexidade.  E por que esta questão é importante?  Por causa daquilo que permite o aumento da complexidade de uma sociedade: o aumento do seu capital
Capital são todos os ativos que ajudam a produzir tanto outros ativos quanto bens de consumo.  Capital também pode ser entendido como o dinheiro que pode ser utilizado para a produção de bens produtivos.  Em ambos os casos, o ativo empregado — o capital — produz um retorno mais do que capaz de cobrir os gastos do proprietário (empreendedores e capitalistas), permitindo que o empreendimento seja autossustentável.  Por outro lado, se a atividade não gera lucros, então ela é consumidora por natureza, e não produtiva.  

O brasileiro é um povo fútil?

ROLEZINHO-VINICIUS-DEIVID-FERNANDO-105-size-598.jpgNo relatório de consumo de países emergentes do Credit Suisse, o Brasil é o país com um consumo "discricionário mais prevalente", o que é uma forma educada de dizer que gastamos mais dinheiro com futilidades do que outros países emergentes. Entre os brasileiros com uma renda de até U$1.000 (mensurada pela paridade do poder de compra), 62% dos participantes disseram que pretendem comprar roupa ou tênis "de marca" nos próximos 12 meses.  A proporção sobe para 74% entre os que ganham mais de U$2.000, maior do que nos demais países emergentes do relatório.
Lembrando que, mesmo considerando a paridade de poder de compra, "roupa de marca" é mais cara aqui do que em outros países emergentes.
Não sei dizer se somos mais fúteis. Se somos, não saberia explicar como ficamos assim, mas, a la Rousseau, irei propor uma hipótese de economia política para justificar parte da suposta futilidade nacional.
Todo consumo humano tem um significado que vai além da sua prometida utilidade prática.  Quando compramos um sapato, estamos comprando um calçado, mas também estamos adquirindo um símbolo de distinção em relação às outras pessoas. 

A maré estatista na América Latina e a Teoria do Intervencionismo

mercosur.jpgA guinada à esquerda na América Latina na primeira década do século XXI, bem como a abertura comercial e as privatizações da década anterior, não são obras do acaso, ditadas somente pela alternância de tendências ideológicas, nem tampouco fruto de misteriosas necessidades históricas. O apelo à inevitabilidade da globalização, comum na década de 1990, ou a crença em uma marcha inexorável rumo a uma sociedade mais livre a partir da queda do muro de Berlim sempre me pareceram como estranhamente próximos à crença marxista em uma evolução pré-determinada rumo ao paraíso socialista. Aqueles dois momentos da história latino-americana podem, pelo contrário, ser explicados por uma teoria econômica de ciclos intervencionistas, inspirada na obra do economista austríaco Ludwig von Mises, que desnudou as "contradições internas" do intervencionismo.

18 de fevereiro de 2014

Como ocorreu o milagre econômico de Hong Kong - da pobreza à prosperidade

Hong-Kong-At-Night-1050x1400.jpg
Hong Kong, dias atuais
Com milhões de refugiados chineses, sofrendo com um embargo comercial e com sua infraestrutura estrangulada, a Hong Kong do início da década de 1950 parecia confirmar os prognósticos pessimistas feitos no século XIX. No entanto, esta enxurrada de refugiados era composta por milhões de indivíduos que, embora completamente pobres, fugiram para Hong Kong em busca de liberdade.  E embora Hong Kong não possuísse a infraestrutura adequada para recebê-los, ela fornecia ampla liberdade para qualquer indivíduo que quisesse colocar seus talentos empreendedoriais em ação. 
Não havia na ilha as mesmas restrições cambiais vigentes no Reino Unido e em grande parte da Europa — o que significava que o dólar de Hong Kong, que era ancorado à libra esterlina, era livremente conversível em outras moedas —, e a quantidade de regulamentações sobre a economia era desprezível.
A combinação entre mão-de-obra à procura de trabalho e empreendedores com conhecimento e algum capital oriundos de Xangai — até então a grande cidade capitalista chinesa — forneceu a matéria-prima para o crescimento industrial iniciado na década de 1950.  A economia começou a prosperar.
Os empreendedores de Hong Kong criaram rapidamente um número impressionante de pequenas e médias empresas durante este período, especialmente no setor têxtil.  Estes empreendimentos, os quais acabaram se diversificando e se ramificando para setores como vestuário, plásticos e eletrônicos, produziam principalmente para atender a crescente demanda da Europa e dos EUA por bens manufaturados e baratos.   
Essa rápida industrialização da década de 1950 foi possível porque ocorreu em condições nas quais 1) os direitos de propriedade eram respeitados, 2) o poder judiciário era independente e os tribunais, imparciais, e 3) a interferência econômica das autoridades coloniais era mínima.
Como o último governador britânico de Hong Kong, Christopher Patten, escreveu em seu livro de memórias, East and West, os refugiados do comunismo que correram para Hong Kong chegaram à única cidade livre da China; era de fato "a única sociedade chinesa que, por um breve período de 100 anos, viveu um ideal jamais vivenciado em nenhum outro momento da história da sociedade chinesa — um ideal em que nenhum homem tinha de viver com medo de uma batida à porta da sua casa à meia-noite".

12 de fevereiro de 2014

Funcionários da Polícia Federal confirmam paralisação nesta terça-feira

Agentes, escrivães e papiloscopistas também se preparam para suspender as atividades nos dias 25 e 26.
Na última sexta (7), servidores da Polícia Federal também protestaram contra más condições de trabalho
São Paulo – Agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal irão suspender as atividades nesta terça-feira (11). Os profissionais, que representam cerca de 80% da PF, vão organizar manifestações diante das unidades da instituição, para denunciar o que consideram más condições de trabalho. Eles ameaçam realizar greve nos próximos dias 25 e 26.

Entre as principais reivindicações, estão a reestruturação da carreira e definição das atribuições dos agentes. "É uma situação urgente, a Polícia Federal não tem atribuição de fazer segurança para delegações estrangeiras, por exemplo, e precisamos resolver isso antes da Copa do Mundo. Mas queremos que todas as atividades estejam em lei para visualizarem a complexidade da nossa profissão”, disse o vice-presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luis Boudens.
A entidade afirma ainda que os funcionários estão há sete anos sem reajuste. “Em 2002, os nossos salários estavam no mesmo patamar dos auditores da Receita Federal e hoje ganhamos metade do que eles recebem. O governo nos colocou em um patamar abaixo do que deveríamos estar”, disse Boudens. A federação afirma que o órgão tem sofrido "um boicote oficial" do governo e acredita que isso ocorre por "uma espécie de castigo" pelas operações anticorrupção da PF, como a do chamado mensalão.

Segundo pesquisa de 2013 divulgada pela Fenapef, 90% dos policiais sentem-se subaproveitados na corporação, 70% consideram ter a saúde afetada com o trabalho e 30% admitem tomar medicamento controlado, passando por tratamento psicológico e/ou psiquiátricos. "Precisamos parar e mostrar para toda a sociedade que a Polícia Federal está na UTI. O governo tem de retomar as linhas de negociação", diz Boudens.
A assessoria de imprensa do Ministério da Justiça e representantes do governo informaram que não se manifestam sobre movimento grevista ou paralisações.
Fonte:RedeBrasilAtual

Internet brasileira supera a dos EUA, segundo Netflix

O Brasil entrou no sistema de medição de internet da Netflix. Já em sua primeira aparição o país consta à frente dos Estados Unidos, quando o assunto é a velocidade da rede.
Por aqui a melhor operadora é a GVT, que oferece velocidade média de 2,85 Mbps. Depois vem a Live Tim, com 2,81 Mbps, e a Net Virtua, com 2,26 Mbps.
Completam o ranking nacional a Algar (1,90 Mbps), a Telefônica (1,44 Mbps) e a Oi Velox (1,36 Mbps).
Em geral, o brasileiro conta com uma conexão de 2,08 Mbps, de acordo com a medição da Netflix. Isso é mais que o visto na Colômbia (1,91 Mbps), na Irlanda (1,82 Mbps), nos EUA (1,78 Mbps), no México (1,76 Mbps) e na Argentina (1,6 Mbps).
Reprodução Fonte:OlharDigital

Desenvolvedor explica por que tirou Flappy Bird do ar

Dong Nguyen, o vietnamita de 29 anos que criou o Flappy Bird, resolveu quebrar o silêncio e explicar por que tirou o jogo do ar. Em entrevista à Forbes, o desenvolvedor se justificou dizendo que o título era viciante, o que não era sua intenção.
"Flappy Bird foi desenhado para jogar por alguns minutos quando você está relaxado", disse ele. "Mas aconteceu que ele se tornou um produto viciante. Eu acho que ele se tornou um problema. Para resolver este problema, o melhor era desativar o Flappy Bird. Ele se foi para sempre."

Lan Anh Nguyen, repórter da Forbes que falou com Nguyen, chamou atenção para as circunstâncias da entrevista, realizada em um hotel. O desenvolvedor, que não permitiu ser fotografado, parecia estressado, fumava sem parar e adiou a conversa em várias horas porque teve de se encontrar com o vice-primeiro-ministro do Vietnã, Vu Duc Dam - "uma guinada inacreditável de eventos para alguém que até uma semana era desconhecido", comenta a jornalista.
O desenvolvedor diz não se arrepender da atitude, mesmo tendo ganhado US$ 50 mil por dia com seu jogo. Ele negou qualquer envolvimento da Nintendo na decisão e disse que o fato de o cenário (e alguns sons) ser bem semelhante aos do Super Mario foi mera coincidência.
A .GEARS, desenvolvedora de Nguyen, possui outros títulos bem cotados nas lojas de aplicativos e não pretende tirá-los do ar por serem "inofensivos".
Fonte:OlharDigital

8 em cada 10 brasileiros não fazem ideia do que é vídeo on demand

Você que acompanha o Olhar Digital já é íntimo dos serviços de vídeo 'on demand' - sob demanda - (espécie de locadora online) e provavelmente está acostumado a utilizá-los para ver filmes e séries. Mas saiba que 79% dos brasileiros simplesmente desconhecem o conceito que não para de crescer na internet.

É o que aponta a 20ª edição da pesquisa PayTV pop, realizada pelo Ibope com 18 mil pessoas em 13 metrópoles brasileiras. Apenas 20% dos respondentes disseram estar familiarizados com o VOD e, destes, só 2% afirmaram utilizar o serviço.

Ao jornal Folha de S.Paulo a NET argumenta que o nome do segmento em inglês é pouco difundido no Brasil, o que pode ter causado confusão entre os participantes. Seja como for, o resultado do estudo indica que as empresas desta área promissora, liderada pela Netflix, talvez precisem rever seus posicionamentos midiáticos.
Via: FSP

Oito conquistas capitalistas das mulheres

Já ouviu dizer que o pen drive e o email salvaram mais árvores que todas as campanhas do Greenpeace?  
Independentemente do cálculo de quem economizou mais celulose, essa frase comunica uma mensagem mais profunda.  O capitalismo opera de forma não-premeditada.  As mudanças capitalistas se realizam sem a necessidade de discursos ou campanhas de conscientização.  Mas elas mudam o discurso e a consciência de maneira definitiva.
Não faz muito tempo, as mulheres ainda eram tratadas com inferioridade social e política. Repare estes anúncios do início do século XX:
Vintage-Ads-Beer.jpg
"Não se preocupe, querida, você não queimou a cerveja."
nyplvalentine6.jpeg
"Meu voto você não terá. Eu não quero uma sufragista que dá sermões."
Transformações sociais e políticas costumam acompanhar transformações econômicas.  Não é porque a economia muda sem a necessidade de um movimento retórico estabelecido que suas conquistas devem ser ignoradas.  Pelo contrário.  As vitórias silenciosas do capitalismo merecem ser lembradas justamente porque não foram resultado de planejamento ou oratória.
Segue a lista de 8 grandes conquistas femininas trazidas pelo capitalismo.

A esquerda progressista e a consagração da culpa

1301624016463_f.jpgNo início do século XX, o movimento progressista — à época, liderado pela esquerda americana — entrou em cena pregando o fascinante e sedutor evangelho da Libertação da Culpa.  Os indivíduos — proclamavam audaciosamente os progressistas — estavam reprimidos, inibidos e repletos de um massacrante sentimento de culpa pelo simples fato de estarem constantemente cedendo aos seus desejos e impulsos naturais.  A função autoproclamada dos progressistas era a de efetuar uma jubilosa remoção de todo e qualquer sentimento de culpa, sentimento esse que havia sido forçadamente incutido nas pessoas pela 'opressora moral religiosa', por padres e pastores.  O hedonismo, a entrega irreprimível aos desejos e o fim de toda e qualquer sensação de culpa passaram a ser o comportamento preconizado.  Colocando em uma típica e repugnante frase da Revolução Sexual da década de 1960, "Se algo se move, acaricie e demonstre afeto".  O sexo, por fim, seria "apenas um gole d'água", algo natural e inofensivo.
No entanto, essa era da inocência e da ausência de culpa propugnada pelos progressistas durou, pelo que me lembro, aproximadamente seis meses.  Logo depois, as coisas se inverteram totalmente. 

Como a internet nos ensina os benefícios do livre mercado

internet.jpgA World Wide Web foi inventada em 1992 pelo físico britânico, cientista da computação e professor do MIT Sir Tim Berners-Lee como um simples mecanismo de compartilhamento de artigos científicos entre seus colegas.  A essencial e principal inovação da rede foi o uso do hipertexto — o mecanismo pelo qual, ao clicarmos em um link, normalmente uma palavra ou uma frase que aparece em destaque, fazemos automaticamente o download de um documento.  Embora esta seja uma ideia muito simples, a rede mudou completamente o mundo em que vivemos.  Seu surgimento e sua ascensão são também um esplêndido exemplo do que acontece quando o setor privado é deixado desimpedido e com plena liberdade para suprir as necessidades do mercado. Apesar de sua grande complexidade e do seu rápido progresso ao longo dos últimos 10 anos, a internet e todas as pessoas que interagem através dela é um arranjo que funciona basicamente sem qualquer tipo de intervenção estatal.  Os web designers (pessoas que elaboram o projeto estético e funcional de um website) não necessitaram de ajuda do governo para desenvolver as habilidades necessárias para criar websites cada vez mais complexos; os profissionais de tecnologia da informação não ficaram esperando por relatórios oficiais dizendo como e quando eles teriam de se adaptar às mudanças tecnológicas; e as empresas foram rápidas em oferecer toda uma gama de serviços — sempre em constante evolução — necessários para que a internet funcionasse harmoniosamente.

Não faz sentido um Banco Central ter metas de inflação

banco-central-brasilia-20091219-01-size-598.jpgEconomistas permanecem aferrados à ideia de que uma economia pode ser harmoniosamente gerenciada por um Banco Central desde que este consiga manipular os preços no agregado por meio de alterações na taxa básica de juros. Essa política de determinar metas para a inflação de preços é mundialmente popular.  As autoridades monetárias acreditam que isso não apenas irá estabilizar a taxa de inflação de preços, como também irá ajudar a estabilizar a atividade econômica em torno de níveis sustentáveis.  Ou seja, elas genuinamente acreditam que determinar metas para a inflação de preços é algo que poderia, no mínimo, suavizar os ciclos econômicos.
Ainda pior: a maioria dos economistas segue refém da ideia de que um pouco de inflação é algo positivo.  Será?

Crianças que falam outra língua têm menos chances de desenvolver Alzheimer

capa_bilingue
O novo estudo é afirmado pelo linguista americano Jared Diamond.
Crianças bilíngües, de acordo com pesquisas, se ajustariam mais facilmente a mudanças e podem se concentrar com menos esforços quando confrontadas com uma situação confusa.
Outro estudo apontou que pessoas que falam mais de uma língua tem menos chances de desenvolver o mal de Alzheimer. A explicação é que, como os bilíngues exercitam seus cérebros de forma diferente, eles poderiam atrasar o desenvolvimento da doença.
Diamond estima que pessoas que sabem falar mais de um idioma ficam protegidas por cinco anos a mais do Alzheimer.
Fonte: BBC

O Que é Felicidade?

O-Que-é-Felicidade
A ciência moderna  pensa estar apta a responder, pelo menos parcialmente, a esta questão. Em laboratórios de todo o mundo, o estudo do cérebro entrou numa fase detalhada, que permite até chegar a conclusões sobre o grau de felicidade das pessoas.
E estes esforços levaram os investigadores a surpreendentes análises comparativas.
A mais preciosa cobaia destes estudos não é um ratinho de laboratório, mas um monge budista de origem francesa, Matthieu
Ricard, filho de um famoso filósofo e autor francês, recentemente falecido, Jean-François Revel.
A mente deste monge foi estudada na Universidade de Wisconsin e o resultado é arrebatador, podendo até mudar por completo a visão que temos do cérebro humano.

Os cientistas nunca encontraram ninguém tão “feliz” e afirmam, em medições quantificáveis, que Ricard é mesmo o homem “mais feliz na Terra”.
Esta conclusão tem a ver com a medição de certas ondas cerebrais e a actividade no córtex pré-frontal esquerdo, que está associada a pensamentos positivos.
Estudos científicos americanos mostram que estão particularmente desenvolvidas estas características cerebrais em monges budistas que praticam um determinado tipo de meditação durante a qual tentam pensar em todos os seres vivos com especial compaixão.

E, se existe um atleta de alta competição nesta modalidade, ele chama-se Matthieu Ricard.
Com 61 anos, este antigo biólogo molecular decidiu há 30 anos abandonar a sua vida de investigador e seguir a religião budista, tornando-se mais tarde assessor do Dalai Lama, o líder espiritual dos budistas tibetanos.
Antes de optar pelos Himalaias, o monge fizera um doutoramento em genética molecular e trabalhara ao lado do Prémio Nobel da Medicina (em 1965), François Jacob.
Foi nessa altura que escolheu a religião, após ter lido textos budistas que o impressionaram.Na década de 70, Matthieu Ricard foi discípulo do mestre tibetano Rinpoche e tornou-se mesmo um dos maiores estudiosos dos textos tibetanos clássicos.

Mas a ciência veio de novo ter com ele. A história da vertente de investigação que levou as neurociências ao budismo começou há uma década, quando Dalai Lama, durante uma visita a uma escola médica americana, fez uma pergunta: pode a mente moldar a matéria? O problema levantado com esta questão aparentemente de resposta negativa partia do pressuposto de que a ciência tinha provado existirem alterações químicas no cérebro e impulsos eléctricos associados a pensamentos ou a emoções.
Mas seria possível conceber o inverso, ou seja, os pensamentos produzirem alterações químicas e produzir impulsos eléctricos?
Ao longo da última década, os cientistas têm estudado as alterações do estado mental de monges budistas.

A equipa de Richard Davidson, da Universidade de Wisconsin, fez medições precisas de voluntários com mais de dez mil horas de meditação, sobretudo de Ricard, e percebeu que este estado contemplativo estimulava zonas do cérebro associadas às emoções, nomeadamente às
positivas, como aquelas que nos habituámos a ligar a estados de felicidade.
Igualmente importante era o facto de, entre estados de meditação, as ondas cerebrais permanecerem intensas, sugerindo que era possível treinar o cérebro e controlar as emoções, mudando a estrutura da própria mente.
Segundo Davidson, “os resultados mostram que a meditação pode mudar as funções cerebrais de forma durável”.

Isto é basicamente o que fazem os monges budistas, afirma a ciência, após uma década de estudos pormenorizados, com o uso de equipamentos sofisticados que permitem medir as ondas cerebrais e as zonas do cérebro em funcionamento.
Outra equipa fez experiências com Ricard e 150 voluntários, onde mostrou que o monge budista francês conseguiu um equilíbrio entre emoções positivas e negativas jamais visto num ser humano, com desvio para as positivas (entusiasmo, alegria) que anulava as negativas (medo, ansiedade).
A conclusão deste estudo de Adam Engle é semelhante: o cérebro não é estável, ele pode mudar.
São enormes as implicações destes estudos. As investigações sobre os fenómenos budistas começaram por estar rodeadas de controvérsia, mas a melhoria dos equipamentos tornou consensuais os resultados. Também se sabe que a meditação tibetana é uma prática, tal como o desporto no
Ocidente. E a comparação é aceite.
Tudo indica que o cérebro pode ser treinado na idade adulta e até mudar a sua organização interna, algo que experiências com músicos também tinham demonstrado.

A linha de investigação sugerida pelas experiências com o homem mais feliz do mundo não tem implicações apenas para a questão da felicidade e para a melhoria de vida de cada indivíduo, mas para coisas mais prosaicas, como o controlo do stress, a melhoria da atenção.
A história mostra ainda que a contemplação vale todos os bens materiais e que as contas bancárias não dão felicidade. O homem mais feliz do mundo não tem riqueza pessoal e vive num mosteiro nos Himalaias.

A compaixão, o amor, o deslumbramento, a piedade, a clemência, a devoção, enfim, todos os sentimentos que nos habituámos a encarar como positivos resultam, afinal, de uma capacidade interior que podemos controlar.
E nesta curiosa fusão entre religião e ciência falta ainda o senso incomum dos poetas, de Camões, por exemplo, que num soneto teve um inspirado momento eureka da poesia: “Tão enlevado sinto o pensamento que me faz ver na Terra o Paraíso”. O monge não diria de outra maneira. “
Fonte:VoceSabia

O que é a informática em nuvem?

n1237
Antigamente, você instalava um software no computador e armazenava os arquivos no disco rígido do PC. A nuvem já foi descrita como uma transformação de modelo de computação de desktop, com os usuários indo agora para o webtop.

A melhor maneira de explicar como funciona a computação em nuvem é usando um exemplo conhecido, o Facebook, que, atualmente, tem cerca de meio bilhão de usuários. Para criar um perfil, você não precisa comprar nem instalar qualquer software. Basta acessar o site  com o seu navegador favorito e criar uma nova conta para usar o serviço. Todos os aspectos da rede social estão hospedados em data centers localizados em todo o mundo. As nuvens fazem uma conexão segura entre o aparelho que você está usando para acessar a Internet e os servidores que contêm o software que você quer usar. Qualquer arquivo que você crie, como e-mails, planilhas ou outros documentos também são encriptados e armazenados com segurança online. Qualquer aparelho pode ser usado para se conectar à nuvem, inclusive smartphones, tablets. PCs desktops e laptops, netbooks e agora uma nova linha de notebooks, entre eles o Chromebook, que são fabricados especificamente para o uso da nuvem.

Por que será que a informática em nuvem está tendo tanto impacto em tantos aspectos dos negócios e na maneira como as pessoas usam seus computadores? A resposta é simples: custo. Com a nuvem, não é preciso comprar softwares caros, nem atualizá-los constantemente. Você só compra os serviços que quiser e quando quiser.E, como a nuvem pode se expandir infinitamente, você nunca fica sem poder de processamento nem espaço de armazenamento. O uso da nuvem também permite que você use notebooks, tablets e smartphones que não possuam processadores muito velozes ou discos rígidos de grande capacidade. Tudo o que você tem que fazer é conectar-se à nuvem e rodar o seu navegador de modo eficiente. Todo o processamento é feito no servidor usado pela nuvem. No passado, os revendedores tinham que gastar muito tempo e dinheiro, configurando os seus servidores, antes que pudessem abrir suas lojas virtuais.

A melhor maneira de pensar na nuvem é comparando-a com um bolo em camadas. No Twitter, por exemplo, quando você envia um tweet, conecta-se à primeira camada do bolo servidor. Você pode vê-la no navegador que está usando. Quando clica em “ENVIAR”, para postar uma mensagem, você está interagindo com a próxima camada.Chamada de middleware, ela conecta a camada que você vê, na janela do navegador, com o hardware que suporta a nuvem. A última camada é o servidor físico, localizado em enormes prédios no mundo todos. A Apple, recentemente, abriu um novo centro de dados para suportar o serviço iCloud.

Sua conexão com a nuvem é feita por uma rede absolutamente segura. Os dados nos servidores são encriptados e é feito backup, mas é aconselhável manter uma cópia off-line dos seus arquivos e usar um provedor de serviços em nuvem que tenha boa reputação, como o Google e a Amazon. Mantenha sempre o firewall de sua máquina ativado e seu antivírus atualizado. Se estiver usando uma conexão sem fio, certifique-se que ela é garantida por WPA (acesso protegido Wi-Fi), que é o padrão da indústria.  A nuvem oferece a todos a oportunidade de usar os mais recentes aplicativos a custos baixíssimos ou mesmo grátis, uma vez que tenha pago pela conexão. Com o amadurecimento dos seus aplicativos e serviços, ela deve acabar com a necessidade dos caros upgrades dos softwares e hardwares.
Fonte:VoceSabia

Verduras e exercícios alteram DNA

verduras13
Novos estudos revelam que a boa alimentação e os hábitos saudáveis são ainda mais importantes do que se imaginava – porque têm o poder de ligar ou desligar os genes humanos.

Você imaginou seu DNA alterado por causa das verduras e da pratica de exercícios físicos? Pois é, isso pode acontecer. Uma boa alimentação acompanhada de hábitos saudáveis são capazes de alterar os genes.
A comprovação disso veio através de um estudo feito por cientistas da Universidade de McGill, no Canadá, após analisarem 27 mil pessoas com o gene 9p21, ou seja, gene que aumenta o risco de doenças cardíacas.
Voluntários que consumiram uma dieta rica em vegetais, o gene 9p21 parou de funcionar. Isso se deu por conta do microRNA, molécula existente no material genético das plantas, que mexe com o DNA humano podendo ligar ou desligar nossos genes. O bioquímico Chen-Yu Zhang, da Universidade de Nanjing, na China, afirmou em estudo que “além de ingerirmos os nutrientes das plantas, estamos também ingerindo informações que regulam nosso material genético”.

Por sua vez, a atividade física mexe com o DNA dos músculos. Quando o corpo humano é exercitado entram em ação as enzimas que modificam o bom funcionamento dos genes dos músculos. “O tecido é reprogramado para que a gordura e o açúcar queimem de forma mais eficaz”, foi o que afirmou Juleen Zierath, cientista do Instituto Karolinska, na Suécia.
Vale afirmar que as alterações não são para sempre. Os seus genes podem voltar ao estado anterior caso você pare de comer verduras e de praticar exercícios. O segredo de uma vida saudável não está somente no seu código genético, depende também de bons hábitos.
Fonte:VoceSabia

Como os gatos sobrevivem a quedas de grandes alturas?

pulapula
A sobrevivência de uma gata em Boston, EUA, após uma queda de 19 andares (cerca de 60 metros), levantou a pergunta.

Uma gata sobreviveu a uma queda de 19 andares na cidade de Boston, nos Estados Unidos. Segundo o veterinário Hugh Davis, que tratou da gata Sugar, apesar da altura da queda, estimada entre 45m e 60m, ela não sofreu cortes nem quebrou nenhum osso. O veterinário diz acreditar que ela sobreviveu ao agir como um esquilo-voador, abrindo suas patas como se fossem asas. A proprietária de Sugar, Brittney Kirk, disse que “a gata usou muitas de suas 7 vidas no episódio”.


 

Depois do acidente, Brittany decidiu instalar telas nas janelas do apartamento (ao lado, foto do edifício do qual Sugar caiu)





 

Brittany (foto) deixou uma janela entreaberta na semana passada para que a gata Sugar se refrescasse, mas ela saiu e caiu num gramado. Segundo os cientistas, a habilidade dos gatos de sobreviver a grandes quedas é uma questão de física, biologia da evolução e fisiologia. “Sabe-se que animais têm este comportamento e existem inúmeros casos de sobrevivência de gatos a grandes quedas“, comentou Jake Socha, biomecânico na Universidade Virginia Tech. Numa pesquisa que analisou casos de 132 gatos que caíram de grandes alturas, cientistas observaram que 90% dos animais sobreviveram e apenas 37% precisaram de atendimento de emergência. Um dos animais, que caiu de uma altura de 32 andares (quase 100 metros), diretamente no concreto, teve somente um dente quebrado, um problema no pulmão e foi liberado 48 horas depois.

Feitos para sobreviver
Os cientistas explicam que os corpos dos gatos foram feitos para resistir a quedas, desde o momento em que estão em pleno ar, até o momento em que tocam o chão. Eles possuem uma área de superfície do corpo grande, em relação ao peso, o que reduz a velocidade com que chegam ao chão numa queda. A velocidade alcançada por um gato numa queda é menor do que a de humanos e cavalos, por exemplo. Um gato de tamanho médio, com os membros estendidos, alcança uma velocidade de cerca de 97 quilômetros por hora, enquanto que um homem de tamanho médio chega a uma velocidade por volta dos 193 quilômetros por hora.

 Árvores
Gatos são animais que vivem, essencialmente, em árvores. Quando não vivem em casas ou nas ruas de uma cidade, eles tendem a viver em árvores. Biólogos afirmam que, sendo assim, cedo ou tarde eles acabam caindo. Gatos, macacos, répteis e outras criaturas vão saltar para capturar presas e vão errar, ou um galho da árvore vai se quebrar, ou o vento vai derrubá-los. Então, os processos evolutivos deram a eles a capacidade de sobreviver a quedas. “Ser capaz de sobreviver a quedas é algo muito importante para animais que vivem em árvores e gatos estão entre esses animais“, disse Jake Socha. “O gato doméstico ainda mantém as adaptações que permitiram que eles fossem bons vivendo em árvores.” Segundo os biólogos, por meio de seleção natural, os gatos desenvolveram o instinto para sentir qual lado é o lado para baixo, algo análogo ao mecanismo que humanos usam para o equilíbrio. Então, se eles tiverem tempo o bastante, conseguem torcer o corpo como um ginasta e posicionar os pés embaixo do corpo e, com isso, cair de pé. “Todos os que vivem em árvores têm o que chamamos de reflexo aéreo para endireitar“, disse Robert Dudley, biólogo da Universidade Berkeley, da Califórnia.

Pernas e paraquedas
Gatos também conseguem estender as pernas para criar um efeito de paraquedas,. No entanto, ainda não se sabe exatamente como isso desacelera a queda. Eles estendem as pernas, o que aumenta a superfície do corpo. E, quando chegam ao chão, as pernas, feitas para escalar árvores, absorvem o impacto. Gatos têm pernas longas e bons músculos. São capazes de saltar bem, os mesmos músculos direcionam a energia para a desaceleração, ao invés de quebrar ossos.


Ângulos e gatos urbanos
As pernas de um gato estão colocadas num ângulo diferente das de homens ou cavalos, por exemplo. Este ângulo diferente faz com que as forças não sejam transmitidas diretamente numa queda. Se o gato caísse com as pernas diretamente embaixo dele, em uma coluna, e as pernas o segurassem firmemente, aqueles ossos se quebrariam. Mas as pernas vão para os lados, as juntas se dobram e a energia é direcionada para as juntas, com menos força indo para os ossos. Os gatos em áreas urbanas tendem a estar acima do peso e fora de forma e, por isso, sua habilidade para se virar durante uma queda e cair em cima das patas é menor. Aquela gata de Boston teve sorte. Mas a maioria dos gatos teriam tido problemas graves no pulmão ou fraturas nas pernas, danos na cauda e também fratura na mandíbula ou um dente quebrado. A lição que fica, para quem tem gatos e  POR FAVOR, COLOQUEM TELAS NAS JANELAS.
Fonte:Vocesabia

Heterocromia, os olhos multicoloridos

capa_heterocromia
Heterocromia existe em seres humanos e em animais também, sabia? Olhos com cores diferentes é causada por excesso ou falta de melanina por conta da genética, doença ou machucado.
Existem três tipos de heterocromia nos olhos: completa, setorial e central.
  • Completa é quando ambos os olhos têm cores diferentes – por exemplo, um marrom e outro azul – e talvez seja a mais chocante e conhecida.
  • Setorial ocorre quando há duas cores diferentes na mesma íris – um toque de uma segunda cor diferente da dominante.
  • Central, ocorre quando a íris têm dois ou mais “círculos” de cor – por exemplo, azul com um arco dourado perto da pupila ou externamente.
Existem apenas três pigmentos que aparecem na íris: azul, marrom e amarelo. A quantidade de cada um define a cor final do olho.
A heterocromia é relativamente rara – afeta cerca 11 em cada 1.000 pessoas na América.
Fonte: Environmental Graffiti

Como surgiu o sistema de bate papo na internet?

capa_chat
Os ‘bate – papos’ virtuais são utilizados com uma das principais formas de comunicação. No entanto, para os mais velhos, a ‘vida on line’ nem sempre foi tão fácil.
No Brasil, um dos primeiros sistemas de conversa na internet surgiu nos anos 90. Bem diferente do que é utilizado hoje, o ‘ICQ’ era um sistema de bate papo on line que, além de ter um nome difícil, também complicava bastante a vida do usuário.

Para acessar a sala de bate – papo na internet era necessário que o usuário utilizasse uma sequencia de números, em alguns casos com mais de dez dígitos.
As complicações no acesso (e, provavelmente a internet discada, disponível na maioria das casas da época) fizeram com que o ICQ não resistisse ao ‘jeitão’ simpático do seu sucessor: a Sala de Bate – Papo UOL (Universo On Line).
O sistema de bate papo oferecido por um dos sites pioneiros da internet no Brasil tornou a conversa mais pessoal e popular, exigindo do usuário apenas um ‘nick name’ ou nome de usuário.

Mas a revolução no sistema de conversas on line no Brasil aconteceu em 2001 com a Microsoft e o seu ‘MSN Messenger’ e uma agressiva campanha publicitária para aumentar o número de usuários no Brasil.
Rápido, com layout moderno e de fácil instalação, o MSN Messenger reinou absoluto, pelo menos no Brasil, até a inclusão do sistema de bate – papo em redes sociais como o site facebook.com, uma das formas mais utilizadas na internet hoje.

Morte/ Obsoleto e sem o encantamento das redes sociais, o MSN encerrou suas atividades no dia 30 de abril de 2013. O serviço foi substituído pelo igualmente popular ‘Skype’, que oferece versões também para celular.
Fonte:Vocesabia

Suposto namoro entre modelo transexual e Romário teria durado 1 ano

Thalita Zampirolli insiste na história, mas baixinho ameaça processar
O assunto esfriou, Romário passou a desfilar de namorada nova e até já terminou, mas Thalita Zampirolli voltou para assombrar a vida do baixinho. Sim, estamos falando da modelo transexual que foi flagrada em clima de intimidade com o deputado e causou grande polêmica, principalmente quando ele desmentiu o romance.

A morena concedeu uma longa entrevista ao Ego, durante a qual voltou a afirmar que teve, de fato, um relacionamento amoroso com o ex-craque, e que tudo desandou quando ele descobriu que ela havia se submetido a uma cirurgia de mudança de sexo.

"Acredito que ele deve ter ficado chateado comigo, sim. Mas ele tem que entender que sou uma mulher. Tivemos um relacionamento durante um ano e foi bom enquanto durou", declarou. Thalita também conta que a revelação de seu passado levou à perda de contratos de trabalho como modelo, além de consequentes problemas financeiros e depressão.
"Cancelaram contratos dizendo que eu agi de má fé e que eu deveria ter contado antes, não ter omitido que era transexual", relatou. Mesmo assim, durante a conversa, ela insiste que é uma mulher e que é assim que se sente, por isso não achava necessário sair falando sobre seu passado.

O portal também procurou Romário, que mais uma vez negou o namoro e inclusive disse que nada aconteceu entre os dois. "Ela não pode dizer que namorou comigo durante um ano porque estou separado há um ano e depois disso só tive dois relacionamentos. Não consigo namorar escondido. Claro que o que ela está dizendo não procede", defendeu.

Romário também se diz pronto para buscar reparações na Justiça caso o assunto volte à tona. "Eu inclusive estou preparando uma ação e vou entrar contra ela e contra qualquer veículo que continuar divulgando essa história sem fundamento. Está chegando o carnaval e ela deve estar querendo voltar para a mídia", especula.
Fonte:POP

9 de fevereiro de 2014

Apesar das tentações, Leonardo DiCaprio diz que nunca usou drogas

Ator acredita que a pressão de Hollywood leva pessoas à dependência
Um dos maiores nomes da indústria do cinema, Leonardo DiCaprio tem tudo aos seus pés – mulheres, fama e dinheiro. No entanto, ao contrário de muitas das estrelas, garante que nunca chegou perto das drogas, mesmo com a abundância das substâncias ilícitas no meio que frequenta.

"Nunca usei", disse em entrevista ao "Los Angeles Times". "É porque eu via esse tipo de coisa literalmente todos os dias quando tinha três ou quatro anos de idade. Então Hollywood foi como um passeio no parque para mim", completou, citando suas origens humildes. Mesmo assim, ele confessa que se sentiu tentado a experimentar.

"Eu ia a festas e as drogas estavam lá, e sim, existe uma tentação." DiCaprio tem sua teoria para o que leva tantos atores para o mundo da dependência. "Hollywood é um lugar muito volátil em que artistas chegam e essencialmente ao qual querem pertencer. É incrivelmente vulnerável ser um ator e ainda receber críticas em uma idade precoce, quando você ainda está formulando quem você é. Vi muitas pessoas se tornarem vítimas disso, e é uma infelicidade muito grande."
Fonte:POP

7 de fevereiro de 2014

Tudo Sobre Suplementos - Feito Especialmente para Sarah Cavalcante

suplementos para emagrecer  
Então você decidiu entrar em uma academia, começar a se alimentar corretamente cuidar da sua saúde. Desistiu de fazer dietas ou tomar remédios milagrosos que no final acabam por não trazer resultado nenhum. Então você decidiu que irá fazer as coisas do jeito certo e cuidar do seu corpo de uma vez por todas!
 
Mas academia e alimentação saudável não são o bastante não é? Você deseja perder peso rápido. Você deseja ver a gordura evaporando do seu corpo como se fosse água. Então, o mais indicado para você é o uso de suplementos para emagrecer.

6 de fevereiro de 2014

Balança comercial de janeiro fechou com déficit de US$ 4 bi, pior resultado histórico

Em 12 meses, saldo está positivo em US$ 2,5 bilhões.
balança
Exportações somaram US$ 16,027 bilhões e as importações, US$ 20,084 bilhões
São Paulo – A balança comercial brasileira fechou janeiro com déficit de US$ 4,057 bilhões, o maior da série histórica, iniciada em 1994. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, que divulgou os resultados na tarde de hoje (3), as exportações somaram US$ 16,027 bilhões e as importações, US$ 20,084 bilhões.
No período de 12 meses, de fevereiro do ano passado a janeiro deste ano, o saldo é positivo: US$ 2,544 bilhões. As vendas ao exterior totalizam US$ 242,238 bilhões, enquanto as compras somam US$ 239,694 bilhões. As exportações caíram 0,9%, pela média diária, em relação a igual período anterior, e as importações aumentaram 5,3%. O superávit comercial é  84,7% menor.
Segundo o ministério, no primeiro mês de 2014 os principais destinos das exportações foram China (US$ 2,178 bilhões), Estados Unidos (US$ 2,133 bilhões) e Argentina (US$ 1,207 bilhão). Os principais importadores foram China (US$ 4,005 bilhões, ) Estados Unidos (US$ 2,936 bilhões) e Alemanha (US$ 1,277 bilhão).
Fonte:RedeBrasilAtual

Vibrador do futuro reproduz movimentos de sexo oral

O vibrador é relativamente pequeno e discreto
Diferente de todos os outros consolos já produzidos, o vibrador do futuro mais parece um anel do que um pênis. Batizado de Ora, o brinquedinho reproduz os movimentos da língua, criando "o simulador de sexo oral mais sofisticado do mundo", garante a empresa.
 Como mostra o vídeo, o produto criado pela companhia suíça LELO reproduz qualquer movimento feito por uma língua em diferentes velocidades, atendendo a preferência de muitas usuárias.
"Prometendo ondas e mais ondas de prazer, Ora provê a maior variedade e satisfação sexual e você irá voltar para ter novas experiências", escreveu a marca na descrição do comercial. No entanto, o preço é um pouco salgado para a categoria, cerca de R$ 400. Mas será que o prazer não vale a pena?
Confira o vídeo:
Fonte:PoP

Quem realmente arca com o fardo dos impostos indiretos

inndignados-governo-povo-impostos-indiretos.jpgO senso comum nos assegura que um imposto sobre a renda é "justo" porque tira dinheiro apenas dos ricos ao passo que impostos sobre bens de consumo penalizam majoritariamente os consumidores pobres, pois os empresários gananciosos repassam integralmente tais impostos ao preço final destes bens.  Será mesmo?  É realmente possível as empresas repassarem os impostos que incidem sobre bens de consumo totalmente para os consumidores na forma de um preço final mais elevado? O fato de impostos sobre a renda acabarem prejudicando também os mais pobres já foi devidamente abordado em outros artigos (aqui e aqui), de modo que neste artigo irei me debruçar exclusivamente sobre a questão de impostos sobre bens de consumo. 
Para entendermos claramente o mecanismo de uma transmissão de impostos para os consumidores, e verificarmos se tal transmissão realmente é possível em termos econômicos, comecemos do início.